Precisa de um representante em outra cidade? Contrate um advogado correspondente!

Cedo ou tarde, seu trabalho, seja em escritório de advocacia ou no departamento jurídico de uma empresa, irá exigir presença em comarcas distantes. Na verdade, é desejável que esta demanda aconteça, uma vez que é sinal do crescimento do seu escritório: clientes de maior porte de fato exigem uma atuação mais abrangente. Já os clientes realmente grandes, de abrangência nacional, são implacáveis neste aspecto: a onipresença das bancas em centenas de varas espalhadas pelos estados, neste caso, é imprescindível. Diante deste cenário, fica claro que nenhum escritório, nem mesmo os maiores de São Paulo e do Rio de Janeiro, conseguem realizar este deslocamento profissional sem ajuda. Em muitas das vezes, a estratégia aplicada é a contratação de correspondentes jurídicos. Se você precisa de um representante em outra cidade, saiba por que é interessante contar com o apoio destes profissionais!

O que são advogados correspondentes?

O advogado correspondente é aquele que é normalmente contratado de maneira avulsa para prestar serviços de acompanhamento processual e comparecer a audiências. No entanto, ele pode fazer muito mais do que isso! Dentre os serviços prestados por este advogado, estão  acompanhamentos de julgamentos, assessorias jurídicas, cópias de processos, diligências e despachos, dentre outros.

Economia de recursos

Advogados correspondentes podem ajudar você a economizar bastante. Vamos dar o exemplo de um certo caso no STJ. O advogado correspondente em Brasília de certo escritório buscou informações sobre a data para julgamento de um habeas corpus. Ele obteve a informação de que o habeas corpus não seria levado a julgamento na sessão que se realizaria em certa data, e informou ao pessoal certo em São Paulo. Graças a este aviso, os impetrantes não se deslocaram de SP a fim de fazer sustentação oral ou acompanhar o julgamento. Imagine o quanto eles não economizaram com passagem de avião, hotel, refeições, traslado para os aeroportos…

Auxílio com informação local

Você certamente sabe como é difícil ser novato em um lugar, ou como em toda cidade existe alguém que quer se aproveitar dos “turistas”. Advogados correspondentes podem te deixar mais tranquilo neste aspecto, uma vez que conhecem a cultura do local onde atuam. Um exemplo: os Juizados Especiais Cíveis do Sul não costumam julgar questões ligadas a juros, e sim enviá-las para varas comuns. Neste sentido, profissionais correspondentes podem te alertar sobre este tipo de peculiaridade regional e mudar sua estratégia.

Além disso, bons parceiros, com entrosamento e proximidade com cartórios e autoridades locais, podem oferecer dicas valiosas para a defesa dos interesses de seu cliente.

Onipresença a baixo custo

Advogados correspondentes estão disponíveis em todo o Brasil, o que inclui cidades pequenas do interior, em locais afastados ou de difícil acesso. O preço cobrado por estes profissionais é outro benefício desta contratação: por si, o valor é razoável, sendo que o custo-benefício se acentua ainda mais quando levamos em conta a economia a qual nos referimos no segundo tópico, já que gastos com deslocamento são eliminados.

Cuidados correspondentes

Tantas vantagens exigem cuidado: tenha em mente que advogados correspondentes não são meros despachantes. Os escritórios mais bem-sucedidos, ao contratarem correspondentes, avaliam a estrutura, a quantidade de advogados e a formação acadêmica deles. O pedido de referências também é uma prática recorrente.

Bons advogados correspondentes têm boa cultura de escritório, conhecimento dos casos e preparação para fazer sustentações orais. Idealmente, o correspondente não é contratado apenas de forma avulsa, mas mantêm um bom relacionamento com quem contrata.

Para não errar na hora de contratar um advogado correspondente, não deixe de ler nosso artigo com 3 dicas para encontrar um bom advogado correspondente.

Não é possível, claro, fazer o mesmo em todas as comarcas. É preciso lançar mão de um serviço seguro e confiável de busca de profissionais, que garanta a qualidade dos correspondentes aos quais você irá confiar seu trabalho. Promovendo economia de tempo e dinheiro, a contratação de um advogado correspondente, para atuar como representante do seu escritório em outras cidades, certamente valerá a pena e pode se tornar muito mais simples com um buscador eficaz. Informe-se mais sobre esta modalidade de profissional e comece a usufruir dos inúmeros benefícios de contar com este apoio qualificado!

Seja um advogado correspondente confiável com essas dicas matadoras

A advocacia correspondente é uma prestação de serviços que, cada vez mais, vem se consolidando e ganhando um espaço definitivo no Brasil. Isto porque muitos escritórios já constataram que esta é uma excelente solução em termos de eficiência, economia e praticidade para as ocasiões em que estão afastados das comarcas onde tramitam seus processos.

Porém, como ocorre com todo profissional de uma área em ascensão, é inevitável que o advogado correspondente vá enfrentar concorrência no mercado, e precisa se destacar para conseguir mais contratos com os escritórios que lhe requeiram apoio. Afinal, os escritórios costumam confiar serviços importantes apenas a advogados que lhes passem confiança e lhes garantam que suas diligências serão realizadas de forma satisfatória.

Está interessado em atuar no segmento e usufruir de seus benefícios, mas não sabe como firmar sua competência e se destacar de seus concorrentes? Gostaria de saber o que fazer para tornar seu perfil mais atraente para os possíveis contratantes? Se este é seu caso, saiba que, com algumas posturas matadoras, você certamente terá mais chances de contratação e será solicitado mais vezes pelas empresas e escritórios para este tipo de serviço. Assim, você poderá consolidar-se como um advogado correspondente confiável – e de muito sucesso. Acompanhe nosso post!

Acima de tudo, tenha responsabilidade

A responsabilidade é um atributo essencial para qualquer tipo de advogado. Mesmo trabalhando remotamente e segundo critérios de apoio, você não poderá deixar de ser responsável, cumprindo com rigor e correção os atos, as diligências e os acompanhamentos que dizem respeito ao que foi acertado com o escritório cliente.

Afinal, conforme mencionamos na introdução do artigo, os escritórios e advogados confiam suas diligências apenas aos profissionais que mais lhes passarem segurança de que o serviço será feito de forma rápida e eficiente. Caso o correspondente mostre esta segurança e seja bastante responsável, ele certamente será visto como um bom profissional pelos seus contratantes, o que irá aumentar as chances de que ele seja contratado novamente!

Fique atento – a responsabilidade é um requisito indispensável para se alcançar a imagem de profissional confiável.

Seja acessível

Uma das piores situações, quando se precisa contatar um profissional (principalmente em casos emergenciais ligados ao âmbito jurídico, nos quais pequenos deslizes podem significar a perda da demanda e de grandes somas de dinheiro), é que não se consiga nenhuma forma de comunicação com ele. Neste sentido, a disponibilidade do advogado correspondente é valiosa e imprescindível, seja por telefone ou por e-mail.

Portanto, fique sempre atento ao seu celular, telefone, sua caixa de entrada de seu e-mail, etc. O advogado precisa se mostrar sempre disponível e oferecer respostas rápidas, se quiser ficar com a diligência. Ter canais nas mídias sociais também é sempre bom: com o Facebook, Twitter, LinkedIn, WhatsApp e Viber, ele terá mais chances de se mostrar disponível para seus contratantes e clientes!

Seja inteligível e descomplicado

Não basta ser acessível: é também fundamental que o advogado correspondente tenha um discurso tratável, objetivo e descomplicado. Como o trabalho é feito à distância, as conversações abstratas e confusas só têm a piorar a relação com o escritório cliente. Caso você divague muito, isto poderá ser visto como enrolação, e o contratante certamente preferirá buscar um correspondente mais objetivo. Quanto mais inteligível você for, melhor será a sua comunicação com seus contratantes.

Tenha versatilidade

Como o advogado correspondente é um profissional de apoio a outros advogados ou escritórios naquelas atividades que lhe são essenciais – mas que, por estarem em outra cidade ou Estado, não poderiam cumpri-las a contento – o advogado poderá contribuir de várias maneiras para cumprir as diligências necessárias. Assim, quanto mais ocupações forem ofertadas pelo cliente, melhor. Não restrinja as tarefas a unicamente tirar cópias de processos, fazer protocolos e distribuições, elaborar preparos para recursos ou acompanhamentos de publicações! Abra o leque de serviços para circunstâncias mais peculiares, como atuação como preposto ou representante em audiências, traslado de documentos e despachos específicos com Magistrados. Estes casos vão exigir mais de você, mas também irão trazer mais clientela e rentabilidade, segundo a sua performance.

De toda forma, contratantes gostam de correspondentes versáteis, que atuam em mais de uma área do Direito. Afinal, isto denota um profissional comprometido e qualificado, cujas capacidades não se restringem apenas à um pequeno número de áreas ou serviços realizados.

Seja diligente

A depender do contrato que for realizado com o escritório principal, os atos dos advogados correspondentes ficam mais ou menos amarrados aos poderes que lhe foram passados para agir em um determinado grupo de causas processuais. Mas isso não quer dizer que seu desempenho precise se limitar a agir somente quando for expressamente solicitado. Afinal, qualquer advogado, mesmo que agindo em apoio, não só pode como deve agilizar o andamento das ações, cumprindo diligências com eficiência e vigilância. E, acredite: os escritórios contratantes irão reconhecer os correspondentes que lhes prestarem um atendimento de qualidade.

Conclusão

Para quem se atenta a estas características, há um mercado de trabalho promissor pela frente. São estas qualidades que diferenciam os bons profissionais em um dos ramos de serviços jurídicos que mais vem crescendo no Brasil!

Se você quer aprimorar ainda mais sua profissão, não deixe de conferir O Guia Definitivo da Advocacia Correspondente.

E você, conhece mais dicas que podem ajudar os correspondentes no país? Comente abaixo!

Quais critérios devo utilizar na busca por um advogado correspondente?

Você tem necessidade de acompanhar alguns processos em outra localidade, distante de seu escritório, e decidiu acertadamente por contratar um advogado correspondente. Porém, como saber se o profissional está capacitado para representá-lo? O que você deve, a princípio, levar em consideração para escolher o advogado correspondente para cuidar de seus processos em outras comarcas ou Estados? Apresentamos cinco critérios básicos que você poderá contar na hora em que for contratar um advogado correspondente.

Analise o preço cobrado

O advogado correspondente é contratado diretamente pelo advogado ou pelo escritório que tem processos tramitando em localidades distantes de sua base, ou seja, a relação custo-benefício é um fator determinante para se precisar de um causídico de apoio. Os clientes do escritório principal, que são autores ou réus nos processos remotos, não participam dessa relação contratual e nem sempre arcam, portanto, com essas despesas. Então, se a contratação do serviço não oferecer economia para seu escritório, ao deixar de enviar um advogado associado ou contratado direto para ir ele mesmo resolver as pendências jurídicas dos processos remotos, procure outro advogado correspondente.

Vale lembrar que para calcular o valor cobrado você deve sempre observar as tabelas de honorários disponibilizadas por cada Seccional da OAB. Elas não são obrigatórias, mas estipulam o mínimo que deve ser cobrado. Quanto mais profissionais utilizarem a tabela, menores serão as chances de leilão de serviços advocatícios, e mais valorizado será o profissional de Direito.

Procure por referências

Se o profissional é bom, ele com certeza é reconhecido por seus serviços no mercado. Procure por referências confiáveis e fique mais seguro na hora de contratar. Você pode inclusive solicitar informações acerca de acompanhamentos e diligências anteriores com o próprio advogado correspondente, o que servirá ao menos de exemplos comprovados de que ele vem atuando no setor e tem experiência como advogado correspondente. Alguns conhecidos de outros escritórios e que aproveitam esse tipo de serviço poderão indicar bons advogados correspondente em outras comarcas ou Estados.

Verifique a desenvoltura do profissional

O advogado correspondente, como qualquer advogado, deve ter presteza e agilidade. Mesmo que não tenha muitas referências sobre o profissional, é possível com alguns contatos verificar se ele entende sobre os assuntos relacionados com as demandas para as quais deseja contratá-lo. Converse, troque informações, não contrate de supetão. As práticas processuais que serão solicitadas ao advogado correspondente devem obrigatoriamente trazer eficiência e praticidade para seu escritório.

Constate se o advogado correspondente é disponível

O advogado correspondente deve ser cordial, acessível e bem-disposto. Isso significa que ele precisa atuar como um real parceiro do escritório contratante, para realizar as diligências solicitadas e necessárias, no interesse do cliente. Isso não significa que o profissional tenha que estar o dia inteiro disponível para atendê-lo, em todos os dias da semana. Mas no horário comercial padrão, ou nos horários combinados, ele precisa estar desimpedido para uma comunicação urgente, por exemplo. Questões sobre pontualidade, turnos e agendas devem ser previamente examinadas e ajustadas.

Veja a especialização

No Brasil, já existem diversos escritórios e advogados autônomos que trabalham com a advocacia correspondente. Desse modo, é possível encontrar profissionais ou corpos jurídicos especializados em qualquer área do Direito. Você deve estar atento se o profissional que pretende contratar tem conhecimento ou habilitações para militar naquela área em especial, o que certamente será informado por ele a partir de um contato telefônico ou por e-mail. Se o seu processo for na área trabalhista, não vale a pena contratar um advogado correspondente que pratica exclusivamente à advocacia empresarial, mesmo que ele seja excelente e tenha sido bem recomendado.

Para não errar na hora de contratar um advogado correspondente, não deixe de ler nosso artigo com 3 dicas para encontrar um bom advogado correspondente.

E então, já encontrou um bom advogado correspondente para contratar?

Compartilhe suas opiniões e dúvidas através dos comentários.

 

Como captar clientes na advocacia em 12 dicas

Além de estabelecer metas, aprender a cobrar por seus serviços, preocupar-se com espaço físico e continuar aperfeiçoando seus conhecimentos, os advogados precisam conquistar clientes. Nenhuma dessas tarefas é fácil e as palavras de ordem são foco, organização e prospecção. Um profissional que está em constante comunicação obtém mais resultados. Tem dúvidas sobre como captar clientes na advocacia? Por isso, preparamos estas 12 dicas que vão ajudá-lo a colocar seu nome onde precisa estar: na cabeça dos clientes certos.

1. Entenda o marketing do advogado e as questões éticas

A advocacia é permeada por fortes questões éticas com relação ao capital intelectual e cabe ao profissional conhecer o que é permitido e o que é vetado na divulgação do seu trabalho.

Nesse sentido, de acordo com o Provimento 94/2000, que diz respeito à publicidade, propaganda e informação da Advocacia, as questões éticas abrangem principalmente o uso indevido de informação para fins de prospecção de clientes e uma imagem pouco condizente com a sobriedade da profissão.

Ao advogado não é permitido, por exemplo, veicular propaganda em outdoor, rádio e TV, mas é lícito em mídias impressas e internet, desde que com teor adequado.

Para você não ficar com qualquer dúvida quanto ao princípios éticos da OAB, não deixe de conferir o nosso e-book: O Código de Ética da OAB e seus principais pontos.

2. Defina sua área de atuação

Escritórios e profissionais em início de carreira, muitas vezes, terminam por aceitar casos dos mais diversos ramos de atuação para adquirir know-how, mas isso é um erro. O ideal é determinar a área do Direito que se pretende atuar (e, dentro dela, pelo menos 3 segmentos condizentes com a expertise da equipe) e manter o foco, analisando resultados e expectativas em curto, médio e longo prazos.

Essa delimitação da área de atuação impede que se perca um tempo precioso embrenhando-se em atendimentos nos quais não se está focado ou que não se tenha conhecimento suficiente, o que gera insatisfação e uma gama de clientes não lucrativos.

3. Conheça seu mercado de atuação

A definição dos ramos de atuação exige que o profissional conheça profundamente o segmento no qual escolheu atuar. Questões como: “qual o tamanho do mercado?”, “vale a pena atuar em segmento já saturado?”, “como estão os profissionais atuantes na área?” e “o que é necessário para consolidar minha marca jurídica?”, são importantes para que o escritório de advocacia emita mensagens claras sobre o seu trabalho.

4. Ofereça seu patrimônio intelectual

Captar clientes na advocacia é uma batalha mais intelectual do que financeira e os eventuais custos de marketing devem ser encarados como investimento. Assim, sai na frente o profissional que busca se aproximar de seu mercado oferecendo conhecimento.

Uma forma interessante de conseguir isso é com a participação em federações, associações e sindicatos, além da publicação de artigos em periódicos do ramo, tornando-se referência no segmento escolhido. Os textos escritos pelos profissionais do escritório não podem passar em branco sem que os potenciais e atuais clientes façam uma conexão entre um excelente artigo e o nome da banca.

5. Frequente locais onde seus clientes estão

O isolamento é um dos piores inimigos de um advogado em início de carreira. O profissional deve participar da vida da comunidade jurídica e ampliar suas conexões por meio de networking informal, visitas programadas ou outras formas de estar no local certo e na hora certa.

É esse o momento de estar munido do sempre eficiente cartão de visitas. Certamente, essa é uma das melhores formas de conquistar clientes.

6. Marque presença na internet

O Art. 5º do Provimento 94/2000 admite como lícita, para fins de divulgação, a utilização de internet, fax, correio eletrônico e outros meios de comunicação semelhantes, desde que de forma compatível com o código de ética profissional.

Para estar presente na web, siga estas dicas:

  • Invista em site com layout bem estruturado e que demonstre profissionalismo ao fornecer as informações sobre o escritório;
  • Dedique-se a um blog que servirá de fonte de pesquisa para outros profissionais e clientes em potencial, além de compartilhar artigos e notícias de credibilidade;
  • Saiba diferenciar as funções de cada rede social. O LinkedIn é voltado para networking de perfis profissionais e o Facebook, apesar de ser voltado ao entretenimento, permite que se estabeleça contatos que podem se converter em clientes;
  • Evite cair na tentação do mero anúncio publicitário. Estar na lista telefônica e nos classificados é permitido e incentivado, mas não deixe que seu conhecimento seja visto como um produto em uma prateleira.

7. Invista em equipe especializada

Ainda que os softwares de gestão facilitem e profissionalizem o trabalho em um escritório, é indispensável contar com o apoio de alguém apto a converter ligações em clientes, pois acredite: isso vai além da simpatia e do cafezinho.

Nomeie um profissional com treinamento adequado para a função de atender aos telefonemas e visitas, sanar dúvidas e fazer uma triagem da demanda, convertendo esses dados na média de procuras e contratos efetivamente firmados.

8. Promova palestras e participe de eventos

Uma forma eficiente de captar clientes é promovendo palestras para plateias e participando ativamente de eventos de classe, feiras de negócio, congressos e seminários, sobretudo os específicos da área jurídica.

Nesses ambientes, além de ter a possibilidade de conhecer pessoas da área que podem, eventualmente, precisar dos seus serviços ou indicá-lo a terceiros, o advogado se firma na comunidade jurídica como alguém cujo nome é referência em seu ramo de atuação.

9. Cadastre seu escritório no Google Meu Negócio

Google Meu Negócio é o resultado da junção entre Google Place, Google + e outras ferramentas do Google, cujo objetivo é facilitar a divulgação de um negócio ao aumentar o alcance e a interação com seu público. Assim, a ferramenta, que é gratuita, permite que o escritório gerencie as informações visualizadas ao se fazer uma pesquisa sobre a empresa, assim como os serviços oferecidos.

Além disso, ao localizar o escritório pelo Google Maps, é possível ter informações como horário de funcionamento, endereço e website, facilitando o contato. Enfim, uma medida a ser adotada pela banca para conseguir alcançar um número maior de possíveis clientes.

10. Ofereça conteúdos interessantes

O marketing jurídico é fundamental para ganhar espaço no mercado e ser reconhecido como referência na área de atuação, sendo que um meio de fazer isso é com a divulgação de conteúdos interessantes no blog do escritório de advocacia.

O ideal é que os textos sejam voltados para as matérias que se destacam no dia a dia da banca, por exemplo, o advogado trabalhista pode escrever sobre a reforma trabalhista.

Essa prática atrai potenciais clientes à medida que acessam a internet em busca de informações sobre os assuntos abordados e, ao lerem os conteúdos, além de conhecerem o escritório, confiam no profissional que já demonstrou ter conhecimento sobre a demanda.

11. Adote softwares de gestão

Gerenciar um escritório requer atenção e tempo. Afinal, os prazos, reuniões e audiências não podem ser perdidos e os advogados precisam estar preparados. Além disso, são muitos os documentos e petições a serem devidamente arquivados.

Tudo isso pode ser facilitado com a adoção de software jurídico de gestão. Por meio dele é possível acompanhar todos os processos, atendimentos, compromissos e demais atividades relacionadas ao trabalho. Todas essas informações ainda podem ser gerenciadas de forma integrada por diferentes responsáveis, em qualquer lugar, basta ter acesso à internet.

Além da gestão, existem diversas tecnologias que podem facilitar o seu dia a dia e é sobre isso que escrevemos no artigo Conheça 7 tecnologias para escritório de advocacia.

12. Faça e distribua cartões de visita

Pode parecer antigo, mas o cartão de visita continua sendo fundamental para a divulgação, na medida em que ele serve para o escritório ser lembrado e manter-se presente na memória de possíveis clientes.

O ideal é que ele traga o logotipo da banca, esteja em cores sóbrias e contenha as informações indispensáveis, tais como nome, OAB, área de atuação, endereço, telefone e website. Dessa forma, se o portador do cartão vier a precisar de serviços jurídicos, ele saberá para quem ligar.

Além dessas dicas, se quiser maximizar a sua visibilidade, não deixe de conferir O Guia Completo de Estratégias de Marketing Jurídico para sua carreira e/ou escritório.

Lembre-se que o retorno financeiro é consequência de um trabalho bem-feito e uma boa reputação. E você, o que tem feito para conquistar clientes? Compartilhe com a gente nos comentários!

É advogado mas está desempregado? Seja um correspondente!

Uma carreira no Direito foi e ainda é considerada de grande prestígio, com excelentes oportunidades para ganhos profissionais. De fato, muitas pessoas conseguem atingir o topo, trabalhando em escritórios, passando em concursos ou mesmo alcançando cargos como promotor e juiz. Porém, infelizmente essa não é a realidade para muitos outros causídicos.

Com a proliferação desenfreada dos cursos jurídicos, nos últimos anos o mercado da advocacia ficou saturado em nosso país. Isso faz com que muitos profissionais recém-formados não consigam emprego ou ainda tenham que se submeter a baixos salários oferecidos pelos escritórios, já que há muita procura e nem tanta oferta.

Claro, é sempre possível investir em mais qualificação, como cursos de especialização e pós-graduações, mas, muitas vezes, num mercado tão competitivo, e com a ameaça de crise, tais esforços acabam não surtindo o efeito desejado de obter melhores salários. Assim, nesse cenário complicado, uma ótima alternativa tem sido se tornar um correspondente.

Mas, você sabe o que é advocacia correspondente, quais são suas vantagens e como se tornar um excelente correspondente? Preparamos o post de hoje para responder todas essas dúvidas! Não deixe de ler e conferir!

O que é e o que faz um correspondente?

Um correspondente é aquele profissional que realiza serviços específicos para escritórios de advocacia ou empresas que se encontram distantes do local onde a causa (a demanda judicial ou administrativa) está tramitando — ou seja, estão em outras cidades ou estados.

O correspondente não está ligado ao processo ajuizado como representante jurídico direto dos clientes do escritório remoto, mas está apto a realizar atividades juridicamente peculiares em prol dos interesses desses, a partir de um ato de contratação pelo patrono original da causa.

Importante: Somente Advogados e Estagiários regularmente inscritos na OAB podem ser correspondentes jurídicos, sendo que os Estagiários somente sob a supervisão e responsabilidade de Advogados.  Porém, existem algumas atividades que podem ser feitas por quem não é regularmente inscrito na OAB e você pode conferir esses serviços no e-book gratuito: O guia completo de serviços que estudantes de Direito, estagiários e bacharéis podem fazer.

Quais são as vantagens de se contratar um correspondente?

No Brasil, o advogado precisa estar inscrito no Conselho Seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em que for estabelecido o domicílio profissional. Com essa inscrição principal, poderá atuar em todo o território nacional; de forma livre no estado em que fora inscrito originalmente, e, nos demais estados (Conselhos Seccionais), poderá agir sem inscrição como representante jurídico em até 5 (cinco) causas por ano.

A partir da 6ª intervenção judicial, o advogado terá de, obrigatoriamente, realizar uma inscrição suplementar no Conselho Seccional daquele estado, inclusive pagando mais uma anuidade profissional.

Assim, um advogado que está localizado em um determinado estado contará com o auxílio remoto de um correspondente, em parceria, para examinar e dar o correto prosseguimento de suas causas que estejam tramitando em estado ou cidade diversa de onde está seu domicílio profissional.

Essa parceria gera celeridade nos acompanhamentos processuais e mais segurança para o escritório principal, sem que seja preciso se preocupar com novas anuidades da OAB em outros locais ou com gastos frequentes de deslocamento de seus advogados para cuidar dos processos que tramitam em tribunais distantes.

A medida é muito útil também nos casos emergenciais, em processos que demandem atos urgentes em que o patrono inicial da causa não poderá estar presente.

Quais são os benefícios de ser um correspondente?

Em primeiro lugar, há o benefício imediato da visibilidade no meio jurídico e do networking. Ao se cadastrar numa plataforma especializada como o Juris, o correspondente terá seu perfil profissional exibido para escritórios de todo o país, e poderá prestar serviços para eles. Com isso, o correspondente poderá ganhar novos contatos no meio profissional que podem levar a mais e melhores oportunidades de emprego no futuro.

Além disso, o correspondente estará ganhando também experiência prática no mercado de trabalho ao prestar uma grande variedade de serviços jurídicos que certamente enriquecerão seu currículo. Para estudantes de Direito, jovens advogados ou os que ainda não estão com um emprego fixo, trata-se também de uma forma de receber honorários pelas diligências prestadas.

Finalmente, ao atuar por conta própria como correspondente, o profissional terá horários mais flexíveis e personalizados do que na rotina diária de um escritório. Com isso, ele terá mais tempo para estudar e se capacitar, fazer uma pós-graduação, entre outros.

Como se tornar um correspondente?

Na internet, principalmente em redes sociais como Facebook, LinkedIn e WhatsApp, existem muitos grupos dedicados à divulgação de serviços de correspondente. Os profissionais podem expor um pequeno currículo para possíveis contratantes interessados. Entretanto, é sempre válido lembrar que o ambiente pouco seguro das redes sociais podem trazer contratantes mal-intencionados ou de pouca confiança.

Existe a opção de tentar associar-se aos escritórios de outros estados, para efetuar tal tipo de ocupação na localidade de seu domicílio profissional. Há ainda a possibilidade de tentar a contratação direta em empresas de profissionais liberais especializadas nesse tipo de prestação, que serviriam de intermediárias, o que é facilmente verificável após simples pesquisas na internet.

Porém, um meio novo e eficiente de se tornar um correspondente é se cadastrar em sites e plataformas que auxiliam empresas e profissionais que desejam trabalhar dessa forma. Por meio desse serviço, você será facilmente encontrado por escritórios e advogados de todo o país, por intermédio de um sistema de buscas.

6 dicas para que você seja um correspondente excepcional

Agora que você já sabe mais sobre o que é advocacia correspondente e quais as vantagens dessa carreira, confira algumas dicas que preparamos para que seja um excelente correspondente!

1. Comunique-se bem

A arte de comunicar-se bem é quase que um pré-requisito não só para ser um correspondente, mas para exercer qualquer tipo de advocacia. Seja claro e coerente antes mesmo de pegar a diligência com o escritório que estiver lhe contratando. Deixe tudo combinado nos mínimos detalhes para não haver mal-entendidos e situações delicadas no futuro.

Um bom correspondente deve saber transmitir de forma fluida a sua mensagem, seja para escrever petições, para participar de audiências ou resolver outras questões que lhe foram incumbidas. Evite floreios e textos muito extensos quando a complexidade da situação não exigir isso.

Seja flexível e mantenha um canal aberto de diálogo com o escritório. Isso só fortalecerá o relacionamento com o seu contratante e aumentará as chances de que ele fique satisfeito com o seu trabalho e lhe dê preferência em próximas tarefas.

2. Comprometa-se com as causas

Um advogado de sucesso é aquele que sai do lugar-comum e defende suas causas com entusiasmo e paixão. Não pegue uma diligência só para receber os honorários pelo serviço. Envolva-se com a causa; pesquise jurisprudências, doutrinas e procure saber tudo sobre demandas semelhantes. Essa atitude não só fará com que aprenda de forma extraordinária como também proporcionará o ganho da credibilidade do escritório.

Além disso, quando o correspondente se compromete com a causa, ele deixa de atuar apenas como profissional e passar a agir como um ser humano diligente e preocupado com as necessidades do próximo, desempenhando, assim, um papel solidário na comunidade.

3. Invista em capacitação

As demandas de nossos tempos modernos estão cada vez mais complexas e sofisticadas. Dificilmente, um recém-formado terá condições de enfrentar o mercado de trabalho e a realidade dos fóruns só com o conteúdo teórico que aprendeu na faculdade.

O mercado atual exige do profissional uma série de conhecimentos que não necessariamente são ensinados na faculdade, como marketing jurídico, técnicas de resolução de conflitos e alguns dos temas mais atuais do momento, como Direito Digital.

Sabendo desta nova realidade, o Juris procura capacitar os correspondentes por meio de cursos, mentorias, vídeos, artigos, e-books, entre outros, de modo que os profissionais estejam mais aptos para enfrentar a nova realidade do mercado.

4. Seja organizado

Não é porque você não precisará cumprir jornadas fixas de trabalho no escritório e dividir afazeres com outras pessoas, que poderá se dar ao luxo de procrastinar e de ser desorganizado. A organização é o segredo da eficiência e da qualidade de qualquer tipo de trabalho.

Por isso, comece organizando o espaço físico onde irá se debruçar em suas tarefas. Guarde papéis e livros em prateleiras e caixas, não deixe nada espalhado. Faça anotações de tudo: prazos, endereços, telefones. Não se arrisque em guardar essas informações somente na cabeça.

A organização também significa cumprir as diligências dentro do prazo e com alto nível de qualidade. Dessa forma, será necessário que faça uma boa gestão de seu tempo e calcule o prazo que gastará para efetuar cada tarefa, contando o tempo gasto com deslocamento, alimentação e contratempos que possam vir a ocorrer.

5. Seja responsável e transmita confiança

Quando se comprometer em realizar alguma diligência, trate-a com seriedade e respeite quem confiou em você para isso. Um prazo perdido, ou algum erro bobo que poderia ter sido evitado, pode significar um prejuízo enorme não só para o escritório, mas, principalmente, para as partes daquela demanda.

6. Cadastre-se em uma plataforma online

Na atual Era do Direito 4.0 que o mundo jurídico está vivenciando, fazer uso de ferramentas online para conquistar seu trabalho é essencial para o profissional jurídico – e isto é especialmente verdadeiro para o advogado correspondente.

Assim, para o correspondente, a melhor forma de divulgar seu trabalho, aumentar seu networking e conquistar clientes é se inscrevendo em alguma plataforma online. O Juris Correspondente, por exemplo, é uma das maiores plataformas do Brasil operando em diversas cidades e contando com o cadastro de milhares de advogados de apoio.

Devido à qualidade das diligências cumpridas por esses profissionais, empresas e escritórios estão sempre procurando os serviços de correspondência dessa plataforma. Por isso, não perca tempo! Inscreva-se e seja um correspondente jurídico! Uma carreira de sucesso lhe espera!

 

Passei na OAB, e agora?

Você se dedicou muito, foi aprovado no exame da Ordem e agora precisa planejar sua carreira. Nunca foi tão desafiador exercer a profissão no Brasil e poucas carreiras exigem tanto aperfeiçoamento contínuo quanto a de advogado. Boa formação jurídica, atualizações constantes e segunda língua fluente não são diferenciais, são pré-requisitos.

Possuir metas definidas e planejar a carreira são essenciais para o recém-formado bacharel em Direito. Entre as duas linhas de atuação principais, carreira de advogado e carreira jurídica, existem diversas especializações e cabe ao bacharel dedicar-se de acordo com suas perspectivas e afinidades. O dilema “seguir carreira pública” versus “advogar” deve ser decidido entre prós e contras de cada opção.

Conheça as áreas de atuação

O Bacharel em Direito conta com um grande número de áreas passíveis de atuação, sendo que atualmente algumas estão mais promissoras e outras mais saturadas. Dentre as opções estão: Direito Civil, Penal, Trabalhista, Previdenciário, Tributário, Econômico, do Consumidor, de Propriedade Intelectual, Internacional, Empresarial, Comercial, Ambiental e Administrativo.

Essas áreas são passíveis da atuação tanto para quem opta por carreira jurídica pública quanto para quem opta por ser Advogado.

Carreira Pública: estabilidade e bons salários

Passar em um concurso público é a meta de muitos profissionais formados em Direito. Além da estabilidade do cargo, os salários são atraentes. Porém, os concursos são extremamente concorridos e é necessário muito preparo e dedicação. Existem muitos cargos neste campo de trabalho:

  • Defensor Público: presta assistência jurídica a cidadãos que não têm condições de pagar um advogado, estejam os interessados sob tutela da Defensoria Pública da União ou das Defensorias Estaduais;

  • Advogado Público: trabalha na Advocacia Geral da União, Advocacias Gerais dos Estados ou em Procuradorias Municipais, atuando na defesa de interesses da União, Estados e Municípios, respectivamente;

  • Delegado de Polícia: coordenam e chefiam a função de polícia judiciária da União, além de administrar a questão do estrangeiro no Brasil, efetuar a segurança de autoridades estrangeiras, dentre outras atribuições.

  • Magistrado: definição para Juízes de Direito, Desembargadores ou Ministros. Funcionário investido de autoridade jurisdicional, administrativa ou política que visa a defesa dos interesses dos cidadãos.

  • Promotor ou Procurador de Justiça: membros do Ministério Público, uma das carreiras mais almejadas pelos profissionais e também a mais concorrida nos concursos. Atua na defesa dos interesses da sociedade nos Ministérios Públicos Estaduais e Federal.

Docência: conhecimento e especialização

Os advogados que desejam lecionar em faculdades de Direito necessitam mais do que o título de bacharel. Por isso, esta é uma carreira que merece planejamento. A maioria das instituições exige título de Mestre ou Doutor, além de experiência profissional e aptidão para explorar ferramentas de ensino.

O estudante de Direito que almeja a carreira de professor deve esforçar-se para publicar pesquisas e artigos científicos, fazer participações em palestras, além de desenvolver a oratória. Sair da faculdade com um plano para o Mestrado, tendo feito iniciação científica na Graduação é a forma mais efetiva de ganhar tempo.

Carreira de Advogado: autonomia e reconhecimento

Muitos são os desafios de quem opta por “advogar”, mas os resultados podem ser recompensadores. Algumas das possibilidades são:

  • Ter escritório próprio: o advogado que decide atuar por conta própria em seu escritório, defendendo interesses dos seus clientes ou prestando assessoria jurídica para empresas privadas, enfrenta o risco da instabilidade que cerca o exercício da profissão de forma independente. O profissional precisa investir em um espaço físico mobiliado e alguma infraestrutura, além de fidelizar clientes, o que vai depender muito de técnicas de marketing pessoal, networking e aperfeiçoamentos. Como benefício o profissional advogado goza de mais liberdade e possibilidade de ganhos acima da carreira pública.

  • Atuar como funcionário de outro escritório: é comum que o advogado inicie a carreira logo após a aprovação no exame da OAB como funcionário de um escritório já consolidado. Neste caso, além de certa estabilidade, o profissional terá oportunidade de obter experiência em diversas áreas de atuação ou, dependendo do porte do escritório, especializar-se em uma área em que haja pouca concorrência.

  • Ser advogado correspondente: atividade com amplo campo de atuação. Consiste na prestação de serviços para advogados ou escritórios localizados em outras cidades. As atribuições do correspondente envolvem a obtenção de informações de processos, realização de audiências, oitivas de testemunhas, protocolos, prestação de assessoria jurídica, distribuição de ações, despachos junto a juízes, acompanhamentos de julgamentos, entre outros tipos de diligências. A função é largamente requisitada e pode ser conciliada com outras atividades, possibilitando um aumento considerável de ganhos para o profissional.

Para você aumentar ainda mais a sua capacitação, não deixe de conferir nosso e-book O Guia Definitivo do Advogado Recém-Formado.

E você, já sabe qual carreira seguir? Compartilhe conosco nos comentários suas expectativas e planos!