Como os Advogados Correspondentes e Paralegais Podem Facilitar a Vida dos Cidadãos

A burocracia faz parte da vida moderna e, muitas vezes, pode ser uma fonte de frustração. De serviços de cartórios, elaboração de contratos até questões com órgãos públicos e bancos, as tarefas diárias podem parecer desafiadoras para muitos cidadãos. É aí que os advogados correspondentes e paralegais entram em ação, oferecendo assistência profissional para tornar essas tarefas mais simples e eficientes, em qualquer lugar do Brasil.

Conheça alguns exemplos:

  1. Serviços de Cartórios:

    Exemplo: Você precisa obter uma segunda via de sua certidão de nascimento para fins legais. Um advogado correspondente ou paralegal pode orientá-lo sobre os requisitos, ajudá-lo a preencher os formulários necessários e até mesmo acompanhar o processo, economizando tempo e esforço.

  2. Elaboração de Contratos:

    Exemplo: Você está negociando um contrato de aluguel de imóvel e deseja garantir que seus interesses estejam protegidos. Um advogado correspondente ou paralegal pode ajudar a redigir um contrato claro e abrangente, adaptado às suas necessidades específicas.

  3. Assuntos Bancários:

    Exemplo: Você enfrenta dificuldades com seu banco devido a erros em sua conta ou cobranças indevidas, é idoso(a) e precisa se deslocar até a agência frequentemente. Um correspondente ou paralegal pode guiá-lo no processo de resolução dessas questões, garantindo que você saiba como proceder e até mesmo realizar visitas in loco para resolver o problema.

  4. Documentação em Órgãos Públicos:

    Exemplo: Você precisa registrar uma empresa ou obter licenças específicas junto a órgãos governamentais. Um correspondente ou paralegal pode ajudar a preparar toda a documentação necessária e auxiliar na comunicação com as autoridades, presencialmente sempre que necessário.

  5. Questões Imobiliárias:

    Exemplo: Você está comprando uma propriedade e precisa garantir que todos os documentos e registros estejam em ordem. Um advogado correspondente ou paralegal pode verificar a papelada, esclarecer quaisquer preocupações e assegurar que a transação ocorra sem problemas, realizando todos os trâmites legais e cartoriais.

Conclusão

A burocracia é uma realidade inevitável, mas não precisa ser um obstáculo intransponível em sua vida cotidiana. Os advogados correspondentes e paralegais estão disponíveis, em todo o Brasil, para ajudar a simplificar e descomplicar uma variedade de tarefas legais e administrativas. Suas habilidades e conhecimentos especializados podem tornar essas tarefas práticas muito mais acessíveis para os cidadãos comuns. Portanto, sempre que você se deparar com questões legais ou burocráticas, lembre-se de considerar a assistência de um correspondente ou paralegal para tornar o processo mais eficiente e menos estressante. Para isso, basta acessar o Juris e encontrar um profissional para a sua demanda, gratuitamente!

ENCONTRE AGORA UM PROFISSIONAL

Redução de Custos e Praticidade: os Benefícios dos Paralegais e Advogados Freelancers para as empresas

No vasto território do Brasil, a busca por soluções eficazes e econômicas para a gestão de tarefas legais e burocráticas é uma prioridade para empresas de todos os tamanhos. Nesse contexto, a contratação de paralegais e advogados freelancers emerge como uma estratégia poderosa. Esses profissionais altamente qualificados oferecem uma gama diversificada de serviços em cartório, licitações, órgãos públicos, concessionárias de serviços públicos, cliente oculto, fotografias, vistorias e muito mais. Neste artigo, exploraremos como a incorporação de paralegais e advogados freelancers pode proporcionar redução de custos e praticidade para empresas em todo o Brasil.

1. Redução de Custos em um País de Dimensões Continentais

Dada a vastidão geográfica do Brasil, as empresas muitas vezes enfrentam desafios logísticos e de despesas consideráveis. Contratar paralegais e advogados freelancers oferece uma solução econômica para esses desafios. Ao invés de manter uma equipe permanente em várias localidades do país, as empresas podem acessar paralegais freelancers onde e quando necessário, economizando em salários, benefícios e infraestrutura.

2. Versatilidade e Diversidade de Serviços

Os paralegais e advogados freelancers não são restritos a uma única função, mas oferecem uma variedade de serviços. Eles podem auxiliar em questões jurídicas, relacionadas a cartórios, licitações, órgãos públicos, concessionárias de serviços públicos, realização de trabalhos de cliente oculto, captura de fotografias e realização de vistorias. Essa versatilidade permite que as empresas acessem uma ampla gama de habilidades especializadas sem a necessidade de contratar várias equipes.

3. Foco na Eficiência Operacional

Ao contratar paralegais e advogados freelancers para tarefas específicas, as empresas podem manter o foco em suas operações centrais. Isso não apenas aumenta a eficiência, mas também permite que a equipe interna dedique mais tempo a questões estratégicas e de crescimento.

4. Facilitação de Processos Complexos

Em um país com um sistema legal complexo e regulamentações diversas, contar com paralegais e advogados freelancers especializados em áreas específicas pode ser essencial. Eles podem navegar pelos processos burocráticos com facilidade, garantindo que todas as questões legais sejam tratadas de maneira adequada e dentro dos prazos estabelecidos.

5. Praticidade e Acessibilidade

A acessibilidade dos paralegais freelancers é uma grande vantagem. Empresas podem contratá-los sob demanda no Juris, sem a necessidade de compromissos de longo prazo. Isso oferece praticidade e a capacidade de ajustar os recursos legais de acordo com as necessidades específicas de cada projeto.

Conclusão

A contratação de paralegais e advogados freelancers no Brasil, com sua vasta extensão territorial e complexidade legal, é uma estratégia inteligente para empresas que buscam reduzir custos e alcançar maior praticidade em suas operações. Esses profissionais versáteis e especializados podem oferecer uma ampla gama de serviços, facilitar processos complexos e permitir que as empresas mantenham seu foco nas operações centrais. Em um país tão diversificado quanto o Brasil, a flexibilidade e eficiência proporcionadas pelos paralegais e advogados freelancers são inestimáveis para o sucesso empresarial.

CONTRATAR AGORA UM CORRESPONDENTE

Crie ou expanda o seu escritório de advocacia com advogados correspondentes e paralegais

Criar ou expandir um escritório de advocacia com advogados correspondentes e paralegais é muito mais fácil do que você imagina! Aqui estão os 7 passos essenciais:

Passo 1: Planejamento Inicial

  • Identifique as áreas de atuação que deseja focar: determine em que áreas do Direito você deseja focar, como direito empresarial, direito civil, direito de família, etc. Contratando correspondentes, você pode atuar em diversas áreas!
  • Identifique as localidades em que deseja atuar: realize uma pesquisa de mercado para entender a demanda por serviços jurídicos nas comarcas desejadas. Contratando correspondentes, você pode atuar em diversas cidades!
  • Concorrência: avalie a concorrência nestes locais para identificar oportunidades e desafios.

Passo 2: Estrutura Jurídica e Regulamentação

  • Escolha uma estrutura jurídica: decida se você deseja estabelecer um escritório de advocacia individual, uma sociedade de advogados ou outra estrutura legal.
  • Registro: registre seu escritório de advocacia de acordo com as leis e regulamentos locais. Consulte um advogado ou contador para orientação.
  • Licenças e autorizações: verifique se você e os advogados correspondentes associados estão licenciados e autorizados a exercer a advocacia. Contratando correspondentes, você pode atuar em diversos estados.

Passo 3: Relacionamento com Advogados Correspondentes e Paralegais

  • Seleção de Advogados Correspondentes e Paralegais: recrute advogados correspondentes e paralegais através do Juris com base em suas especializações e experiências. Avalie suas qualificações e histórico.
  • Elaboração de Contratos: elabore contratos de prestação de serviços jurídicos para formalizar o relacionamento com os freelancers. Esses contratos devem detalhar termos como remuneração, responsabilidades, confidencialidade e duração do acordo.

Passo 4: Infraestrutura e Tecnologia

  • Localização: opere de forma virtual e utilize coworkings quando necessário. Oriente seus correspondentes a fazerem isso.
  • Tecnologia: adquira ferramentas e software jurídico para gerenciar casos, documentos e comunicação de forma eficiente. O Juris é imprescindível nesta jornada!

Passo 5: Gestão e Administração

  • Gestão de Casos: estabeleça um sistema de gestão de casos para acompanhar e gerenciar os processos jurídicos de forma organizada.
  • Financeiro: estabeleça procedimentos de faturamento, cobrança e contabilidade. Mantenha registros financeiros detalhados.

Passo 6: Marketing e Clientes

  • Marketing Jurídico: crie um plano de marketing jurídico para atrair clientes. Isso pode incluir um site, presença nas redes sociais, publicidade paga no Google, LinkedIn e Meta Ads e networking.
  • Construção de Clientes: comece a construir uma base de clientes por meio de contatos profissionais, referências e participação em associações.

Passo 7: Cumprimento Legal e Ético

  • Ética Profissional: assegure-se de que você e os advogados correspondentes e paralegais sigam rigorosamente os códigos de ética profissional e regulamentações jurídicas.
  • Responsabilidade Profissional: obtenha seguro de responsabilidade profissional para proteger o escritório contra possíveis ações judiciais. Incentive que os seus correspondentes parceiros façam o mesmo!

Lembre-se de que a gestão eficaz do relacionamento com advogados freelancers e paralegais e a prestação de serviços jurídicos de qualidade são fundamentais para o sucesso do seu escritório. Além disso, mantenha-se atualizado sobre as mudanças nas leis e regulamentações que afetam a prática da advocacia na sua área de atuação.

ENCONTRE AGORA UM ADVOGADO CORRESPONDENTE

Como contratar um Advogado Audiencista?

audiência de conciliação no juizado especial cível

Como contratar um Advogado Audiencista?

Se você é um gerente de escritório de advocacia ou departamento jurídico, é importante contratar advogados especializados para representar seus clientes em audiências. Afinal, ter um advogado audiencista confiável pode ajudar a alcançar o melhor resultado possível para o seu cliente. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a contratar um advogado audiencista para sua equipe.

  1. Pesquise e verifique a reputação do advogado: antes de contratar um advogado audiencista, faça uma pesquisa e verifique a sua reputação. Consulte a lista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e confira se o profissional está regularmente registrado. Além disso, verifique a reputação do advogado em sites de avaliação e recomendação, como o Google e o LinkedIn.
  2. Verifique a especialização do advogado: certifique-se de que o advogado que você está considerando contratar tenha a especialização adequada na área em que você precisa de assistência. Afinal, nem todos os advogados são especializados em todas as áreas do direito. Pesquise sobre a experiência do advogado em casos semelhantes aos que você precisa de assistência e veja se ele tem o conhecimento necessário para lidar com o seu caso.
  3. Analise a disponibilidade do advogado: certifique-se de que o advogado audiencista tenha disponibilidade para cuidar dos casos que você precisará dele. Verifique se ele pode comparecer às audiências em horários convenientes e se ele tem tempo para se dedicar ao seu caso.
  4. Considere a localização do advogado: é importante considerar a localização do advogado audiencista que você está considerando contratar. Afinal, se as audiências ocorrerem em uma cidade diferente, é importante ter um advogado que esteja familiarizado com as leis e procedimentos locais.
  5. Verifique a transparência dos honorários: antes de contratar um advogado audiencista, verifique a transparência dos honorários. Certifique-se de que você entenda claramente os custos envolvidos e como serão calculados. É importante que o advogado deixe claro desde o início quanto custará o seu trabalho.
  6. Tenha uma entrevista inicial: agende uma entrevista inicial com o advogado para discutir o seu caso e avaliar a sua abordagem para a defesa. É importante que você se sinta confortável com o advogado e que esteja seguro de que ele pode representar adequadamente os seus interesses em juízo.
  7. Considere a personalidade do advogado: além das habilidades jurídicas e conhecimento, é importante considerar a personalidade do advogado. certifique-se de que ele é confiável, comunicativo e capaz de trabalhar em equipe. Isso é essencial para uma boa relação de trabalho e sucesso no caso.
  8. Verifique as referências do advogado: pergunte ao advogado por referências de outros clientes e veja se eles recomendam seus serviços. Isso pode ajudar a garantir que você está escolhendo um advogado audiencista confiável e experiente.

Ao seguir essas dicas, você pode encontrar o advogado audiencista ideal para representar seus clientes em audiências e garantir os melhores resultados possíveis.

Está precisando contratar um advogado audiencista? Encontre um gratuitamente no Juris!

 

Por que contratar correspondentes para o meu escritório?

aumentar lucratividade de advogados em escritório

Por que contratar correspondentes para o meu escritório?

Para escritórios de advocacia e empresas que atuam no mercado jurídico, a contratação de correspondentes pode ser uma estratégia essencial para otimizar processos e garantir a qualidade do serviço prestado. Os correspondentes são profissionais que atuam em regiões distintas do país e são contratados para realizar serviços pontuais, como audiências, diligências, protocolos e outras atividades relacionadas a processos judiciais.

Mas, afinal, por que contratar correspondentes para o seu escritório de advocacia? Neste artigo, vamos destacar algumas das principais vantagens dessa prática.

Economia de tempo e recursos

Ao contratar um correspondente, o escritório pode economizar tempo e recursos, já que não precisa deslocar seus próprios advogados para outras regiões do país. Isso é especialmente importante para escritórios que atuam em diversas cidades e estados, pois a contratação de um correspondente pode ser mais econômica do que manter uma equipe própria de advogados em cada localidade.

Conhecimento local

Os correspondentes possuem um conhecimento local que pode ser essencial para o sucesso de um processo. Eles conhecem as particularidades das comarcas, dos juízes e das leis locais, o que pode ser fundamental para garantir uma atuação eficiente e estratégica em cada caso.

Flexibilidade e agilidade

A contratação de correspondentes permite que o escritório tenha maior flexibilidade e agilidade na realização de tarefas jurídicas. Por exemplo, um correspondente pode ser contratado para realizar uma audiência em uma data específica, permitindo que o escritório evite conflitos de agenda e otimize seus processos.

Melhora na qualidade do serviço

Ao contar com correspondentes em diferentes regiões do país, o escritório pode garantir uma melhor qualidade do serviço prestado aos seus clientes. Isso porque os correspondentes são profissionais especializados em determinadas áreas do direito, o que permite que o escritório conte com uma rede de especialistas para atender às demandas dos clientes em diferentes localidades.

Expansão do negócio

A contratação de correspondentes pode ser uma estratégia para expandir o negócio do escritório para outras regiões do país. Com a ajuda de correspondentes locais, o escritório pode se estabelecer em novas cidades e estados, sem a necessidade de investir em uma estrutura própria em cada localidade.

Em resumo, a contratação de correspondentes pode ser uma estratégia eficiente para escritórios de advocacia e empresas que atuam no mercado jurídico. Além de permitir uma maior economia de tempo e recursos, a contratação de correspondentes pode garantir uma melhor qualidade do serviço prestado, ampliar o alcance do escritório e aumentar a flexibilidade e agilidade na realização de tarefas jurídicas.

Contrate agora o seu correspondente no Juris, a maior e melhor plataforma de correspondentes do país.

Como contratar um preposto?

home office alteração de regime

Como contratar um preposto?

Contratar um preposto pode ser uma tarefa importante e complexa para qualquer empresa. O preposto é um representante legal da empresa que atua em situações específicas, como em audiências trabalhistas ou administrativas, e tem como função defender os interesses dela. Para contratar um preposto, é necessário seguir alguns passos importantes.

  1. Identifique as necessidades da empresa: antes de contratar um preposto, é importante avaliar as necessidades da empresa e identificar as situações em que será necessária a presença de um representante legal. Isso pode incluir situações como audiências trabalhistas, processos administrativos, reuniões com fornecedores ou clientes, entre outras.
  2. Defina as qualificações necessárias: após identificar as necessidades da empresa, é importante definir as qualificações necessárias para o preposto. Isso pode incluir formação em Direito, experiência em audiências, habilidades de negociação, entre outras.
  3. Busque candidatos: existem diversas formas de buscar candidatos para o cargo de preposto, como por meio de agências de emprego, sites de recrutamento, indicações de colegas e por meio do Juris.
  4. Realize entrevistas: após selecionar os candidatos, é importante realizar entrevistas para avaliar suas qualificações e habilidades. É importante buscar candidatos que tenham uma boa comunicação, capacidade de negociação, conhecimento jurídico e experiência em situações semelhantes.
  5. Realize uma pesquisa de antecedentes: antes de contratar um preposto, é importante realizar uma pesquisa de antecedentes para verificar se o candidato possui alguma pendência criminal ou jurídica que possa prejudicar a empresa.
  6. Formalize o contrato: após selecionar o preposto ideal, é importante formalizar o contrato de trabalho, definindo as responsabilidades, remuneração e benefícios. É importante também definir as condições para a rescisão do contrato e garantir que o preposto esteja ciente das suas obrigações e responsabilidades.
  7. Realize treinamentos: para que o preposto possa representar a empresa de forma eficaz, é importante realizar treinamentos específicos, que incluam informações sobre a empresa, seus produtos e serviços, bem como orientações sobre como se comportar em situações específicas.

Em resumo, contratar um preposto requer atenção e cuidado por parte da empresa. É importante avaliar as necessidades, definir as qualificações necessárias, buscar candidatos, realizar entrevistas, realizar uma pesquisa de antecedentes, formalizar o contrato e realizar treinamentos. Ao seguir esses passos, a empresa pode garantir a contratação de um preposto competente e eficaz, capaz de representar seus interesses de forma eficiente.

Precisa encontrar um bom preposto para representar a sua empresa? É só acessar o Juris!

Por que contratar um advogado correspondente?

Por que contratar um advogado correspondente?

A contratação de um advogado correspondente pode ser uma decisão inteligente para muitas empresas e indivíduos que precisam de assistência legal em áreas fora de sua jurisdição ou especialidade. Advogados correspondentes são profissionais que trabalham em uma determinada área geográfica e são contratados por outros profissionais ou empresas para prestar assistência legal em casos específicos. Neste artigo, vamos explorar algumas razões pelas quais você vai querer contratar um.

Economia de tempo e dinheiro

A contratação de um advogado correspondente pode economizar tempo e dinheiro, especialmente quando se trata de processos que exigem a presença física em uma determinada jurisdição. Em vez de um advogado viajar para uma outra cidade ou estado, contratar um advogado correspondente pode ser uma solução mais econômica. Além disso, um advogado correspondente que é especializado na área do caso pode concluir o trabalho com mais eficiência e rapidez, economizando tempo e recursos.

Conhecimento local

Advogados correspondentes têm conhecimento profundo da lei local e dos tribunais locais. Eles têm acesso a recursos locais, como bibliotecas jurídicas e conexões com outros advogados locais, juízes e tribunais. Isso pode ser especialmente útil em casos que envolvem leis locais, costumes e práticas que podem ser diferentes das de outras áreas.

Flexibilidade

Contratar um advogado correspondente pode fornecer flexibilidade em situações em que um advogado ou empresa precisa de ajuda com um caso ou projeto específico, mas não pode se comprometer a uma contratação em tempo integral. Advogados correspondentes podem ser contratados para trabalhar em um projeto específico ou caso, permitindo que os clientes obtenham a assistência legal necessária sem comprometer a equipe interna.

Especialização

Advogados correspondentes muitas vezes se especializam em áreas específicas da lei, o que significa que eles têm conhecimento especializado em uma área específica do direito. Isso pode ser especialmente útil em casos complexos que exigem experiência em áreas como propriedade intelectual, direito imobiliário, tributário ou direito do trabalho. Ter um advogado correspondente especializado pode ajudar a garantir que você tenha a melhor assistência possível em seu caso.

Redução de conflitos de interesse

Em algumas situações, um advogado ou empresa pode ter um conflito de interesse em um determinado caso ou projeto. Contratar um advogado correspondente pode ajudar a reduzir o risco de conflitos de interesse, permitindo que um advogado independente atue como representante do cliente em questão.

Em conclusão, a contratação de um advogado correspondente pode oferecer muitos benefícios, incluindo economia de tempo e dinheiro, conhecimento local, flexibilidade, especialização e redução de conflitos de interesse. Se você precisa de assistência legal em uma jurisdição específica ou em uma área especializada do direito, um advogado correspondente pode ser uma opção viável para ajudar a alcançar seus objetivos legais.

Contrate agora um advogado correspondente no Juris.

 

O que faz um correspondente jurídico sem OAB?

O que faz um correspondente jurídico sem OAB?

O exercício da advocacia é uma atividade regulamentada, que exige a inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para o seu pleno exercício. No entanto, há diversas atividades que podem ser realizadas por profissionais que não possuem inscrição na OAB, como é o caso dos correspondentes jurídicos.

O correspondente jurídico é um profissional que atua em nome de advogados, empresas, cidadãos, departamentos jurídicos ou escritórios de advocacia, prestando serviços de apoio e assistência em diferentes etapas do processo jurídico e administrativo. Dentre as atividades que ele pode realizar, destacam-se:

. Atuar como preposto em audiências: o correspondente jurídico pode representar o cliente em audiências, atuando como preposto, isto é, a pessoa responsável por prestar informações e esclarecer dúvidas em nome da empresa ou pessoa física.

. Realizar diligências: ele pode fazer visitas a cartórios, tribunais, órgãos públicos, empresas e outras instituições, a fim de obter informações e documentos relevantes para o processo.

. Protocolar petições: o correspondente jurídico pode protocolar petições e documentos em órgãos públicos, evitando que o advogado precise se deslocar para essas atividades.

Acompanhar processos: ele pode acompanhar processos em andamento, monitorando prazos e tomando providências necessárias para o andamento do processo.

Obter cópias de processos e documentos: o correspondente jurídico pode obter cópias de processos e documentos necessários para a defesa dos interesses do cliente.

Realizar cobranças extrajudiciais: o correspondente jurídico pode realizar cobranças extrajudiciais, negociando com devedores e buscando soluções para conflitos sem a necessidade de entrar com ação judicial.

No entanto, é importante destacar que o correspondente jurídico sem OAB não pode realizar atividades privativas de advogado, como a elaboração de peças processuais e a representação em juízo. Além disso, ele deve atuar de forma ética e responsável, seguindo as normas e regras estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça e pelo Código de Ética e Disciplina da OAB.

Em suma, o correspondente jurídico sem OAB tem um papel fundamental na advocacia, contribuindo para a efetividade da prestação jurisdicional e garantindo o acesso à justiça para todos. É uma atividade importante e necessária para o bom funcionamento do sistema jurídico, e que pode ser realizada por profissionais que não possuem a inscrição na OAB, desde que respeitem as limitações e regras estabelecidas pela legislação e pelas normas éticas da profissão.

Precisa de um profissional competente para resolver as suas demandas?

Encontre agora gratuitamente no Juris.

O que é ser um advogado correspondente?

O que é ser um advogado correspondente?

Ser um correspondente pode ter diferentes significados, dependendo do contexto em que é utilizado. No entanto, em geral, ser um correspondente significa ser uma pessoa ou empresa que atua em uma determinada localidade em nome de outra pessoa ou empresa que está localizada em outro lugar.

No contexto jurídico, o termo “correspondente” é frequentemente usado para se referir a advogados correspondentes. Esses profissionais atuam em nome de advogados, escritórios, departamentos jurídicos, empresas e cidadãos que estão em outras cidades ou regiões, oferecendo serviços jurídicos e extrajudiciais para esses profissionais e seus clientes.

O trabalho do advogado correspondente pode incluir uma série de atividades, tais como:

  1. Realizar diligências: O advogado correspondente pode ser responsável por realizar diligências, tais como buscar processos, obter certidões, serviços em cartórios, prefeituras, secretarias e fazer cópias de documentos. Essas atividades podem ser necessárias em casos em que o advogado responsável pelo caso não está presente na localidade em que a diligência deve ser realizada.
  2. Acompanhar processos: O advogado correspondente pode acompanhar processos em nome do advogado responsável pelo caso. Isso pode incluir comparecer a audiências, apresentar petições e realizar outros atos processuais.
  3. Prestar informações: O advogado correspondente pode ser solicitado a prestar informações sobre processos ou questões legais específicas na localidade em que atua. Essas informações podem ser úteis para que o advogado responsável pelo caso tome as decisões adequadas.
  4. Realizar sustentações orais: Em alguns casos, o advogado correspondente pode ser solicitado a realizar sustentações orais em nome do advogado responsável pelo caso. Isso pode ocorrer em casos em que o advogado responsável não pode comparecer pessoalmente a uma audiência.
  5. Prestar serviços jurídicos: Em alguns casos, o advogado correspondente pode ser contratado diretamente por clientes que precisam de serviços jurídicos em sua localidade. Nesse caso, o advogado correspondente atua de forma independente e não em nome de outro advogado.

O trabalho de um advogado correspondente pode ser bastante desafiador, uma vez que exige um conhecimento aprofundado das leis e procedimentos legais em sua localidade. Além disso, o advogado correspondente precisa ter boas habilidades de comunicação, uma vez que terá que lidar com clientes e outros profissionais do meio jurídico em nome de outros advogados.

Seja ou encontre advogados correspondentes acessando o Juris!

Data Driven para Advocacia: Entenda como usar!

Data Driven para advocacia, é possível? Criado a partir do conceito de processos organizacionais orientados por dados,  esse sistema se tornou um elemento fundamental para a criação de estratégias e tomadas de decisão no mundo corporativo.

Quem acompanha o mercado, sabe: é indispensável se atualizar. E isso não significa necessariamente mudar tudo que conhece e já pratica, mas otimizar os processos dentro do possível. Em outras palavras, economizar tempo e aumentar a qualidade do trabalho produzido.

Assim, não se deve ignorar a utilização da tecnologia e da inteligência artificial em qualquer negócio. E, por isso, plataformas jurídicas, sistemas de gestão de negócios e marketing jurídico estão sendo tão falados e estudados por quem realmente quer se destacar neste mercado tão concorrido.

Com isso em mente, vale entender que a estratégia usando o Data Driven para advocacia, se trata de uma série de tomadas de decisões baseadas em análise de banco de dados. De forma prática, requer uma coleta e organização para classificar e definir funcionalidade para cada dado coletado. Mas como funciona e como isso se encaixa no Direito?

Origem do Data Driven

Iniciou-se como uma ferramenta voltada para atender necessidades sistêmicas de analise precisos dos dados obtidos. Sendo assim, o alicerce no marketing e em estratégias de negócio, apesar de poder, ainda, se adaptar para outros tipos de empresas.

Na prática, a partir da perspectiva do ambiente corporativo, por exemplo, já existem diversas plataformas inteligentes próprias para análise e organização de dados (como Big Data ou Machine Learning). A verificação de dados através de plataformas digitais passa a ser o fator primordial da otimização do tempo de trabalho.

A ciência de dados e o sistema

É evidente que o sistema Data Driven é fruto da ciência de dados. E, por sua vez, essa metodologia é relativamente nova. Surgindo como um termo alternativo para “ciência da computação” durante a década de 1960, diferenciou-se aos poucos e desenvolveu uma área própria.

Atualmente, se trata da análise de dados para criação de estratégias corporativas e de negócio. Contudo, seu uso ainda é extremamente versátil, dependendo primordialmente da criatividade daqueles que decidem usá-lo.

Qualquer negócio, da área do Direito ou não, que adote o Data Driven, trabalha com base em informação sólida. Assim, excluindo “achismos” e decisões baseadas somente em intuição. Já especificamente para o ramo da advocacia, se torna uma incrível ferramenta organizacional e um valioso verificador de fatos.

Data Driven em audiência

No universo jurídico, a organização e a aferição de dados podem ser vistas como aliadas em audiências, com a preparação da defesa. Usar, ainda, a análise e verificação de dados junto à jurimetria, auxilia na previsão melhor do desenvolvimento de casos.

Como exemplo, analisemos uma audiência criminal. Reunir os dados referentes ao cliente é um longo processo de pesquisa e averiguação. Ao utilizar um processo digital baseado em Data Driven, como a Kronoos, uma plataforma de análise de dados focada no campo jurídico, é possível verificar os antecedentes ou até divergências de informações providas, em minutos.

Assim, a praticidade do sistema permite que o escritório de advocacia monte a defesa de forma coesa, evitando e prevendo possíveis argumentações da acusação. Plataformas desse sistema, focadas no ambiente jurídico, por exemplo, acessam e confirmam as referências junto aos Tribunais de Justiça, Diários Oficiais, Receita Federal, entre outras fontes oficiais.

A partir da verificação, é possível ter acesso, de maneira precisa e rápida, ao envolvimento do cliente com delitos, fraudes, e outros crimes afim. Isso é fruto da pesquisa avançada através da tecnologia de ponta orientada por dados.

Levando em consideração a quantidade de informação que o advogado precisa coletar, averiguar e lidar no dia a dia, definir e esquematizar um sistema organizacional é uma etapa naturalmente demandada. Cabe, então, a partir da estratégia usando Data Driven para a advocacia, desenvolver formas de trabalho adequadas de acordo com a demanda. Seja em uma audiência criminal ou cível.

Como implementar a cultura Data Driven?

Tal qual qualquer cultura organizacional, é preciso atenção aos detalhes e paciência para a adaptação da rotina do processo jurídico ao Data Driven. O verdadeiro desafio da adaptação é implementar a cultura de alimentação de dados na plataforma. Ao entender e seguir o processo de coleta e organização de dados, e, claro, aplicar a plataforma de tecnologia avançada que melhor encaixar no seu modelo de trabalho, tudo começa a fluir.

Naturalmente, o primeiro passo é a coleta de dados. Para a segurança de, no resultado final, conseguir dados estruturados e concretos, é indispensável que as informações disponibilizadas para o sistema sejam relevantes. Então, atente-se em filtrar e adicionar toda a base indispensável para o banco de dados.

Em seguida, através da plataforma digital que utilize o sistema, realiza-se uma análise a partir dos dados coletados. Como mencionado anteriormente, a pesquisa poderá estar ligada ao material disponibilizado em sites de órgãos públicos e afins. Graças à tecnologia do sistema e da plataforma, esse processo, que poderia durar um dia útil ou mais, realiza-se em minutos de forma legítima.

Ao final do processo já filtrado e verificado digitalmente, chega o momento de desenvolver estratégias. O objetivo é interpretar o material obtido e, assim, tomar decisões pertinentes ao caso analisado juridicamente. O processo que antes se tornaria maçante pela rotina de verificação e coleta de informações, otimiza-se em ser realizado num curto período de tempo.

A advocacia 4.0 dentro da cultura deste sistema 

O Juris, tem como foco que o profissional do Direito se destaque no mercado, e, por isso, é necessário que falemos sobre esse novo sistema que veio para ficar. Além disso, vem forte no Direito 4.0 que baseia-se na tecnologia como forma de agilizar todos os processos jurídicos e organizar ao máximo informações, assim, descomplicando toda a rotina jurídica. 

Implementando o Data Driven para advocacia, é possível ter maior liberdade e flexibilidade para que possa focar no que realmente importa no momento de entender um processo. Dessa maneira, se torna possível dar maior atenção aos clientes, através de dados, e, como citamos acima, uma defesa mais precisa, desenvolvendo capacidades analíticas e relatórios completos. 

Gostou desse conteúdo? Se você quer saber mais novidades da área jurídica, assine nossa newsletter e saiba em primeira mão todos os conteúdos lançados!

Está precisando de correspondentes? Encontre os melhores profissionais clicando aqui!